Publicado por: gfrochao | Setembro 4, 2008

Dicas Etno-folclóricas – Episódio I

A Disciplina

A representação do folclore teima em não se disciplinar, tantos são os lapsos que falseiam e deturpam a retratação da componente etnográfica – os trajes – e folclórica – as danças e as cantigas. Vestir um traje é um acto de representação que exige respeito pela figuração que se trás a público, porque se retratam quem outrora o exaltou com brio e muito decoro. Por isso, a veste tradicional obriga a que a usamos com compostura e dignidade, por deferência e consideração aos antepassados. Ao grupo de folclore se exige a reprodução correcta dos hábitos e costumes, das danças e das cantigas que se tornaram apanágio das comunidades de outrora.

O desalinho com que alguns elementos de grupos de folclore se apresentam publicamente, antes e depois das exibições, é algumas vezes confrangedor, senão mesmo arrepiante. Com efeito, quando se assume uma representação, deve-se faze-la com desvelo e decência. No caso dos agrupamentos folclóricos, essa representação deverá respeitar a memória de quem se representa – os avoengos – e que à dita representação se afectam. O estudo à sua forma de ser e de viver, diz-nos que sempre foram briosos na sua humilde postura de vestir, de aparecer à vista de outrem. O comportamento que amiudadas vezes se vê em representações que se têm como folclóricas, deixa antever uma desmedida falta de cuidado.

Fonte: Jornal de Folclore


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: